WTF is Biological Radio? Philosophical, sci-fi and electromagnetic lab

In the beginning there was a radio. Each human being has a biological radio. Otherwise, how are we able to communicate? Let’s do some reverse engineering and try to recreate such biological radio. How it would be? What contents to broadcast? It is telepathic or does it have wires? Does it work with words, does it have a logic?

Target participants: Anyone and Everyone.

Participants should bring: Personal Computer.

DEBRIEFING:

A proposta e o plano

A ideia de criar um espaço de intervenção sobre as questões e temas da rádio no FP foi determinante na projeção inicial da ideia. Depois, tempo para costurar um plano de ação com os ingredientes que me interessava misturar: a rádio e a filosofia. Faço investigação na área da filosofia da mente e a questão difícil da subjetividade humana orbita omnipresente cada movimento meu. O grande objeto da minha investigação atual é descortinar a base evolutiva da imaginação racional que nos leva a pensar em cenários imaginários e hipotéticos para compreender o concreto e o real. Concebi, desta forma, um cenário hipotético e propus uma experiência de pensamento:— Vamos imaginar que descobrimos uma forma de amplificar o som da nossa subjetividade, da nossa consciência. Vamos imaginar que conseguimos transmiti-la via rádio. Que sons seriam esses? Como seria uma tal transmissão?Estava, assim, criado o postulado para a atividade a desenvolver: experimentar pensar esse cenário e experimentar colocá-lo em funcionamento.

A experiência

LAB com 3 etapas concretas e precisas a percorrer: (3 h de corrida)

  1. Momento problemático: Temos uma rádio biológica?
  2. Momento ensaístico: Quais as implicações de descobrirmos que somos equipados com uma rádio biológica?
  3. Momento experimental: Vamos tentar recriar os resultados da hipótese de termos uma rádio biológica.

O LAB foi conduzido, no essencial, como uma sessão de pensamento crítico com boa dose de análise das contradições e implicações das afirmações que se podem fazer acerca do assunto em causa. Toda a especulação libertada foi, posteriormente canalizada para a concretização imediata de algo concreto e que consistiu na gravação áudio dos resultados de interpretação do tema por parte dos participantes.

Rádio Subjectiva

Rádio Telepatia

Os desvios e as surpresas

O título que atribuí ao LAB foi deliberado para suscitar a curiosidade das pessoas. Mais correto teria sido aplicar o termo “intencional” ou “subjetivo”. Portanto, foi intencional da minha parte e definitivamente subjetivo tê-lo designado como RÁDIO BIOLÓGICA. Grande desvio, cara Lina!

Não esperava que o LAB fosse tão participado e tivesse tanta adesão. Nunca se diga que se não se esperam participantes imprevistos!

Grande parte dos participantes eram estudantes de Ciências de Comunicação, Audiovisuais e Jornalismo mas desconheciam as técnicas literárias do monólogo interior, do registo do fluxo de consciência e da escrita automática. Propus alguns exercícios neste sentido que não tinha previsto fazer mas que considerei oportunos e úteis para a aprendizagem académica e vivencial dos participantes.

RADIO LAB FLOWS

notes for presentation

“Aposto que estas a achar isto tudo muito engraçado, ahah, acho que já te disse mas vou dizer outra vez, gosto da tua nova cor de cabelo, gostava de saber do que te estás a rir, deves estar um pouco constrangida com esta situação de escrever o que pensar, não é difícil teclar com as unhas compridas?”

Ana van Egmond

Fluxo de Consciência de dois minutos: “eu não consigo chuva começou rir interiormente boa ideia teclado pensamento lento fotografia akward trabalho folha arrastar as cadeiras som irritante rir e rir sons nervosos branco vazio chuva vou-me molhar fim de semana maria a minha gata jantar”

Ana van Egmond

Auto Fluxo de Consciência

“Isto é louco. é muito difícil escrever um fluxo de consciência, praticamente impossível, o facto de sermos ordenados, já altera completamente a nossa percepção sobre o próprio. já não é mais um fluxo de consciência, mas uma tentativa de, onde o monólogo interior já não existe pois vai será exteriorizado e transcrito num meio. a pureza não existe, não é um mero gerador natural de pensamentos, mas pensamentos gerados no sentido de criar o mínimo de lógica naquilo que se pretende dizer. eu não consigo fazer isto. fico confusa e estagnada.”

Ana Luísa

Fluxo de Consciência do outro

“Isto é muito estranho. Eu já conheço este rapaz. Ele andou na mesma escola que eu. Quando o vi chegar lembrei-me. Estava para lhe dizer isso mas depois achei que não. Tem piada termos ficado agora os dois a fazer isto. É engraçado. Ele é muito observador.”

Ana Luísa

Nervosismo, a dificuldade de mostrar o que penso às pessoas que me rodeiam numa sala com uma mesa longa, várias pessoas desconhecidas, uma câmara apontada às companheiras de mesa.

Ruídos de pessoas que se riem, o barulho das teclas, essencialmente penso no que estou a ouvir. Os paços de alguém a sair sorrateiramente, mais ao fundo alguém a virar de página.

Cristiana Barros

A Ana tem sardas. E eu não sei o que lhe quero dizer. Está a rir-se porque está envergonhada.Eu também. Encravei, Espero que o tempo passe rápido porque estes são os 2 minutos mais constrangedores de sempre.

Cristiana Barros

Escrever um texto sobre o meu pensamento ela passou a frente a impressora esta desligada, tanta gente a bater nas teclas rio-me para o teclado. barulho no sofa, uma mulher a arrastá-lo e sentou-se vestida com um top amarelo. a cadeira é vermelha. até já luís! ainda ficou mais uma bocado e fez mais uma foto. agora estou a olhar para baixo e agora para o monitor. isto é ridiculamente estranho.

mais teclas a fazerem barulho. acho que já chega.

João Mariano

reparei que também és esquerdina;

lembro-me de ti na esmae;

estou intrigado com os teus phones;

tens madeixas;

e as pestanas grandes;

não tinhas um piercing?;

estás a escrever mais do que a olhar para mim;

João Mariano

Phrases come and go

Radiobiologia é a biologia dos condensadores na radio o tema que insiste em ficar torna-se eletromagnético Circula flui Parte o espelho As placas metálicas dos condensadores rugem Sobem ao éter O controlo sobre o cão ou o cão é que controla. Os russos vêm aí? O cão prefere a luz elétrica. Ficam à noite a contemplar a invenção de Edison

Creative regards.

Luís Aly

Fluxo de consciência individual: 

Muito trabalho para fazer. Marcar entrevistas. Constrangimentos de logística, horário do expediente. Muita pressão para escrever, não sei o que escrever. Tenho medo que troveje, só penso no calor que virá para a semana.

Rita Costa

Fluxo de consciência a pares:

Temos ainda hoje de escrever uma peça.
Será que vamos ao Portugal Fashion?
Tens umas unhas muito bem tratadas.
Somos a dupla Double R.
Destaco o dourado do teu relógio.
É que o brilha hoje em ti!
Fluxo de consciência a pares:

 Temos ainda hoje de escrever uma peça.
Será que vamos ao Portugal Fashion?
Tens umas unhas muito bem tratadas.
Somos a dupla Double R.
Destaco o dourado do teu relógio.
É que o brilha hoje em ti!
Nunca tinha reparado que tens olhos cor de avelã.

Rita Costa

Fluxo de consciência

Ler Ulisses do James Joice Fluxo o que será? Escrever nas teclas duras. O que escrever. Incapacidade de fotografia. Gostava do papel. O relógio barulho fazer e teclas. Sofa e a desconcentração, Tra tra tra tra , espaço espaço o gravador não tem proteção. As mãos, Falta o anel. Não sei, mutas teclas, muito barulho, nós, como nós nos dedos, delete, delete, ainda não acabou, traz, para traz, ainda não acabou.

Rosa Azevedo

O Diálogo

Para quem e o convite do Portugal Fashion? Rita, olha para mim! Isto tem mesmo piada não achas? O que é que vamos fazer depois? Achas que a peça fica bem só com áudio? É que as fotografias não estão grande coia! Não achas que o tempo para fazer a reportagem está muito apertado?

Rosa Azevedo

> “Receber informação. Pensar. Ordenar a mão. Escrever. Pensar em pensar. Não saber o que pensar. Não saber o que escrever. Deixar a consciência. Pensar na consciência. Escrever. Tempo. Cinzento. Barulho. Analisar. Tentar. Curiosidade. Bloqueio. Escrever.

> :) estou a gostar muito! Obrigada

> Susana Silva

“São feijões o teu colar? Não tens frio? Tens um sorriso simpático e olhar curioso. O teu anel é bonito e a letra também. Não percebo o que me queres dizer, mas tens piada na mesma.”

Susana Silva

Conclusão provisória … e em progresso

O LAB foi muito epidemicamente estimulante (passando o termo). Tem condições para ser desenvolvido com uma duração maior que permita controlar e descontrolar tanto a discussão como a experimentação e os resultados.

Further developments:

DAR cross-fertilised the outcomes and came up with the following: http://designadvancedresources.org/fp/videos/wtfusbiologicalradio.mp4

Luís Barbosa’s surgical eye captured this:DSCF3716sw 

Coordination

Idalina Correia da Silva

Schedule17 Oct 2014, 2:30-5:30PM
Location ID+

Instructor

Idalina Correia da Silva is sometimes a high school philosophy teacher and sometimes guides philosophical experimental labs and critical thought labs with informal groups. She is a PhD student and researcher in mind philosophy subjects.
Pratinho de Miolos (Plate of brains) is the name of her radio program, a mundane philosophy radio program which is broadcasted by Rádio Manobras, an independent radio station from Porto. She patiently waits for the day she can finally buy pure mental states from any newsstand. Meanwhile she tries to find some good reasons for what is happening.